Sobre a importância de se estimular a literatura infantil e o leitor mirim.

Boa tarde!

Hoje em “Letras” vou falar de um tema que é primordial para o futuro não só de nossos filhos, mas também do país.

Gostar de ler não é algo que nasce conosco. Para formar novos leitores, é preciso criar o hábito através do estímulo. Você sabia que o bebê já ouve e reage a voz da sua mãe ou de uma pessoa muito próxima a ela? Sim, é isso mesmo…estou dizendo que você, grávida, pode ler para seu filho ou filha que está na sua barriga. É a criação de um laço de afeto além de tudo.

Para os bebês também é possível estimular a leitura por livrinhos voltados especificamente para esse público. Normalmente são livrinhos com histórias curtas, com poucas palavras, com bastante cor e desenho. Sente no chão, na mesa, no sofá com seu pequeno ou pequena. Transforme esse momento em comunhão. Seu filho(a), além de criar interesse pelos livros desde pequeno, vai sentir que aquele é um momento especial, importante e único entre vocês. Conforme você, mãe, pai, tio, tia, avô, avó, for lendo para seu filho, mostre as palavras mais simples, aponte os personagens, interprete com sua própria voz as falas…a participação necessita ser divertida. Se for possível, estabeleça um horário para esse momento e se dedique integralmente a ele com seu filho ou filha.

Segue abaixo foto dos livros preferidos do meu baby de 01 ano e 08 meses, Francisco:

unnamed (10)

Meu filho já tem uma coleção considerável para a sua biblioteca, mas no momento esses são os títulos de seu maior agrado. Dentre os livrinhos tradicionais temos dois de banho, que a criança pode ler brincando no chuveiro ou na banheirinha. Pra quem tiver curiosidade, segue os títulos, que são bastante fáceis de se achar em qualquer livraria: “Pegue aquela bola” – “O que tem dentro da sua fralda” (excelente para quem tiver filho em época de desfralde! Indico!) – “Meu sapatinho fivelas” e os dois livros de banho “Gildo e os amigos na praia” e “O cãozinho blau”.

Se desde pequeninho(a), a criança for incentivada e estimulada rumo ao hábito da leitura, é bem provável que ela seja um leitor em potencial no futuro, facilitando sua vida estudantil, intelectual e pessoal, pois todos sabemos a importância que a leitura tem para todos os âmbitos de nossas vidas. A leitura propicia a interpretação de texto, a empatia (capacidade de se colocar no lugar do outro), a formação de raciocínio crítico, a imaginação, a sensibilidade entre diversas outras potencialidades.

Caso seu filho já seja grandinho, vale a pena investir. Nunca é tarde para começar um hábito para a vida, seja ele qual for. Com a participação dos pais e/ou responsáveis, tudo é possível, desde que seja feito com carinho e amor.

Quem quer me indicar um livro infantil para o Francisco? Deixe um comentário aí 😉

Um abraço.

Bruna.

Anúncios

Almoço saudável pra sua família, inclusive o baby! #receitas

Hoje em “Panelas”, vou dar um exemplo de comida saudável para ser consumida por toda a família.

Para seus filhos comerem bem eles precisam não só de estímulo, mas também de exemplos. Não adianta nada eu oferecer uma farta variedade de legumes e verduras se eu mesma não como. Isso é essencial para transmitir uma boa educação alimentar para as crianças. Meu filho tem 01 ano e 08 meses e portanto já pode comer a mesma comida que os adultos da casa. O que ele ainda não consumiu são: embutidos, carne de porco e creme de leite. Evito: frituras e comidas gordurosas.

Segue fotos do almoço de hoje aqui de casa, feito pela minha linda e amada vovó (que não tem me deixado cozinhar ultimamente rs).

unnamed (9)

Refeição do dia: arroz com cenoura, batatas e cenouras cozidas, peixe cozido e couve refogada. Vou dizer o passo-a-passo para você poder fazer na sua casa e oferecer essa variedade de nutrientes para você, seu filho e família.

ARROZ COM CENOURA:

Como esse é o arroz branco, a medida é: dois copos de arroz – 4 copos de água para colocar para ferver. Sobre lavar o arroz…segundo a Rita Lobo não é necessário, (nota de rodapé: Rita Lobo apresenta o programa “Cozinha Prática no GNT) mas eu me sinto segura reproduzindo esse mito (ou não?) rs. Descasque a cenoura e corte em cubos pequenos. Depois refogue cebola no óleo de sua preferência (eu costumo usar o de girassol). Acrescente a cenoura, deixe refogar e depois acrescente o arroz, misture bem e jogue a água fervida. Mais uma vez a Rita Lobo dá a dica de colocar sempre um pouquinho a mais de água, pois quando chega nessa parte, de acrescentar a água, perde-se um pouco pela evaporação. Também nunca fiz isso mas meu arroz dá certo rs. Feche a panela em meia tampa e espere 20 minutos. Pronto!

Dica: Para as crianças que tem dificuldade em comer legumes ou verduras é interessante acrescentar sempre um legume ou verdura no arroz ou feijão que irá cozinhar. É mais fácil para eles aceitarem e agrega no sabor.

BATATAS INGLESAS E CENOURAS COZIDAS.

Muito fácil também. Descasque as batatas e as cenouras e deixe cozinhar na água com um pouco de sal. Depois escorra a água e acrescente um pouco de azeite extra-virgem.

COUVE REFOGADA

Comprei essa couve específica ontem na feira. Então é aquela folha bem grande e bonita 🙂 .

Bem, Lave-a. Corte o talo e corte a folha em fatias bem finas (a dica de vovó é enrola-la como se fosse uma trouxinha para fatiar). Refogue em uma panela uns 04 dentes de alhos descascados com azeite extra-virgem e acrescente um dedo de água (vovó é assim, tudo no olhômetro)! Acrescente a couve e deixe-a refogar nessa mistura até ela pegar o gosto. Prontinho!

PEIXE COZIDO

Essa receita é um pouco mais elaborada, mas também fácil. O peixe também comprei na feira, filé de pescadinha. Dá pra ver na foto que são vários pedaços, nesse caso o equivalente a 1 kilo.

Tempere os filés com sumo de um limão espremido e sal a gosto. Em uma panela a parte acrescentamos alguns dentes de alho (falo alguns por que também vai do gosto pessoal de cada um, mas em média uns 04), uma cebola picada, salsa picada (mas também pode ser coentro, ou os dois), azeite extra-virgem e um copo de água. Esse será o molho do peixe. Quando essa mistura estiver bem grossinha significa que está pronta. Em uma travessa coloque o peixe e despeje esse molho e leve a forno baixo até dourar.

Espero que tenham gostado dessa dica!

Se você quiser compartilhar comigo alguma receita saborosa e saudável para crianças e adultos deixa um comentário pra mim. Vou tentar fazer e postarei aqui no blog com os devidos créditos.

Um abraço.

Bruna.

Podcast #feijoadanoturna por: @ronaldoriley @pedroargollo e @danielalbino

Olá pessoas bonitas! Boa tarde.

O post de hoje do blog é uma dica. Dica para quem gosta de informação, nerdice e diversão o/

Estou aqui para divulgar um projeto muitíssimo bacana do meu marido Ronaldo Riley e dos meus amigos Pedro Argôllo e Daniel Albino (posso ser suspeita pra falar, mas quem quiser conferir se estou sendo imparcial ou não é só acessar o link para tirar a prova): o podcast “Feijoada Noturna.” E aí vocês me perguntam: “Bruna, o que vem a ser um podcast?”. Um podcast é tipo um programa de rádio, que você ouve pela internet. E eles existem para os mais variados temas. No caso do “Feijoada Noturna” esses três amigos tem o objetivo de compartilhar de forma objetiva e bem-humorada os acontecimentos e notícias do mundo. Tem de tudo um pouco: política, economia, futebol, música…

12088407_496135477213152_1568397579534776727_n

Curtam a página do facebook no link abaixo:

https://www.facebook.com/feijoadanoturna/timeline

Para quem quer conhecer um pouco sobre essa proposta, ouça o primeiro podcast lançado:

https://www.facebook.com/feijoadanoturna/timeline

Eu não tinha contato com o mundo podcast até o “Feijoada Noturna” e realmente é ótimo. Já tinha ouvido falar desse tipo de programa, mas nunca tinha escutado um. Você pode ouvir  enquanto limpa a casa, faz um trabalho, cozinha, ou em qualquer outro tipo de atividade. Ou então simplesmente deite no sofá e se divirta!

Aliás, convido os próprios idealizadores a deixarem seus comentários convidando todos vocês para acompanharem.

Fica aí a minha dica! E vocês? Tem outra dica de podcast interessante? Se você ouviu o Feijoada Noturna e gostou diga o por quê. E se não gostou também queremos saber!

Um abraço.

Bruna.

Músicas inspiradoras para a vida! Música é vida!

Olá! Boa tarde!

Hoje em “Artes” gostaria de falar de um tema específico, pois tive uma ideia repentina. E mais uma vez tem uma historinha para explicar o porquê, claro! (rs).

Quando eu era adolescente gostava de fazer listas com minhas amigas (Laila e Gabi) sobre diversos temas. Nós escrevíamos as 10 músicas que mais gostávamos, os 10 melhores filmes, as 10 melhores bandas, as 10 melhores comidas típicas da Tailândia… rs. E aí, trocávamos os papéis e comentávamos sobre as escolhas das outras. Era bastante divertido. Pensei que podíamos fazer algo semelhante por aqui.

Enquanto ouvia música hoje, pensei em apresentar-lhes as melhores músicas que na minha opinião nos dão inspiração para pensarmos à respeito da vida. Ou seja, as músicas que considero mais marcantes para tomar uma decisão ou algo do gênero. As escolhas apresentadas não estão na minha ordem de preferência, até por que mudo de música favorita como troco de roupa.

1 – BRINCAR DE VIVER – Guilherme Arantes.

Que eu amo na voz de Maria Bethânia. “A arte de sorrir cada vez que o mundo diz não”. Tem algo mais motivador e esclarecedor que isso?

2 – Imagine – John Lennon.

Um dos meus grandes ídolos na música. “Imagine todas as pessoas vivendo a vida em paz”. Parece óbvio, mas às vezes precisamos explicar o óbvio né?

3 – Eu apenas queria que você soubesse – Gonzaguinha.

Acho que todas as músicas desse cidadão poderiam entrar nessa lista (rs). “É se respeitar na sua força e fé, se olhar bem fundo até o dedão do pé.”

4 – Se eu quiser falar com Deus – Gilberto Gil.

Independente de crença ou religião, essa música nos conecta com aquilo que acreditamos. Seja Deus ou o Universo ou Zeus ou A Deusa ou A mãe natureza… enfim. Pelo menos é essa a minha interpretação e o meu sentimento. “Se eu quiser falar com Deus…tenho que aceitar a dor.” Afinal, o ser humano tem dificuldade disso né? Aceitar a dor…

5 – Deixa a vida me levar – Zeca Pagodinho.

Nem todos tem a mesma opinião que eu, sobre essa música ser indicada para se pensar sobre a vida. “Deixar a vida me levar”, pode trazer uma interpretação de que não devemos nos esforçar para alcançar nossos objetivos. Eu vejo de uma outra forma. “Aos trancos e barrancos lá vou eu, sou feliz e agradeço por tudo o que Deus me deu.” Vamos valorizar também o que possuímos né?

https://www.youtube.com/watch?v=HJzKCFxFlBY .

6 – Dom de iludir – Caetano Veloso.

Essa música merece estar nessa lista por uma única frase. “Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é.” Ou seja, mais empatia, menos julgamento. Ok?

7 – Epitáfio – Titãs.

Essa música é bastante pop e está sempre nas frases prontas de auto-ajuda do facebook. Com toda razão! “Queria ter aceitado as pessoas como elas são, cada um sabe a alegria e a dor que traz no coração.

8 – Assim caminha a humanidade – Lulu Santos.

Lulu Santos é um grande criador de hits que gruda na cabeça do povo. Que bom, por que suas letras podem ter um ritmo e uma levada mais acessíveis, mas tem muito a nos ensinar. “Ainda vai levar um tempo, pra fechar o que feriu por dentro, natural que seja assim, tanto pra você como pra mim”.

9 – O sol – Jota Quest.

Segundo meu marido Ronaldo, a cada dez palestras motivacionais, em onze palestras essa música toca. Ele deixou aí o seu recado! Eu gosto muito dessa música também. “E se quiser saber pra onde eu vou, pra onde tenha sol, é pra lá que eu vou”.

10 – Lanterna dos afogados – Paralamas do Sucesso.

Essa música também é super hit. Todo mundo sabe cantar. Então vamos lá. “Há uma luz no túnel, dos desesperados, há um cais no porto pra quem precisa chegar.”

E então pessoal, gostaram da minha seleção? Músicas podem nos trazer ideias brilhantes, nos ajudar a resolver problemas e podem até ajudar a pensar sobre a vida de forma mais abstrata. Tem alguma outra música que vocês colocariam nessa listagem?

Um abraço.

Bruna.

Sobre o livro “O Rei do Inverno” – As crônicas de Artur.

Olá queridos e queridas. Boa tarde!

Antes de iniciar o post de hoje sobre esse livro maravilhoso do título, quero fazer uma pequena introdução.

Quando o blog era só uma ideia na minha cabeça, eu comecei a escrever resenhas no meu facebook à respeito dos livros que estava lendo no momento. Foi uma experiência ótima a nível de treino. Gostaria de compartilhar com vocês algumas dessas resenhas, que também podem ser encontradas no blog sobre literatura da minha mãe: http://palavralida.blogspot.com.br/ , aliás é um excelente blog para quem ama literatura, acessem! Abaixo segue na íntegra a resenha sobre o “Rei do Inverno”, feita no dia 20/05/2015.

11231798_834596493295579_3113166853194665008_n

“Esse livro me foi indicado pelo meu querido Ronaldo Riley. É um de seus livros de ficção preferidos e eu fui conferir por que. E sinceramente, QUE BOM, QUE BOM, QUE BOM, que fiz isso!
Bernard Cornwell, que é amigo de outro escritor muito conceituado, George Martin, da série Game of Thrones, tem talvez uma escrita mais envolvente que o último (tcharãn, joguei a polêmica, mas tenho o direito de expressar minha opinião rs). PS: No devido tempo irei falar da minha relação de amor e ódio com Game of Thrones, mas isso fica para um outro papo.

“O rei do inverno” é um romance baseado nas lendas e crônicas do lendário Rei Artur através da perspectiva de seu soldado mais fiel, o personagem Derfel. Apesar de ser um romance histórico, Bernard Cornwell se utiliza de algumas fontes históricas para dar maior embasamento à sua escrita. No final do livro, na “Nota do autor”. Cornwell explica sobre a imprecisão das fontes sobre a existência desse Rei Guerreiro que comandou incríveis vitórias contra a invasão saxã no final do século VI d.C; além de dar dicas sobre aonde na narrativa ele se utilizou mais da imaginação do que da história propriamente dita.

Na obra “De Excidio et Conquestu Britanniae” do autor Gildas, uma das fontes das quais Bernard Cornwell se utiliza para falar sobre um período conturbado de invasões saxãs na Britannia, hoje conhecida como Inglaterra, essas batalhas são descritas, mas não menciona o Rei Artur. Apesar dessas divergências nos sentimos completamente impelidos para a história ficcional-mas-com-fundo-de-verdade do autor. Tem de tudo: guerra, romance, drama, religião…pode agradar realmente a todos os tipos de leitores.

Uma leitura associada que fiz a bastante tempo de “As Brumas de Avalon”, (que também pode ter uma resenha mais para frente), não deixa claro o conflito Cristianismo X Paganismo que existia na Idade Média. Nesse livro vemos o paganismo como forma cultural intrínseca nas pessoas da época, diferentemente de ” As Brumas de Avalon”, na qual Morgana, irmã de Artur, trava uma guerra praticamente perdida contra os cristãos desde o primeiro livro dos quatro livros.

Impossível não torcer por Artur desde o início. Ele é o típico herói das histórias épicas, guerreiro, valente, com moral, diplomático, bem apessoado e inteligente. Também é impossível não sentir empatia por Derfel, pois o personagem, apesar de ter vivido em uma época muito mais remota se apaixona, luta, erra, volta atrás em decisões, se culpa, enfim, vive dilemas reais de pessoas boas de coração. Temos portanto os papéis de “vilão/mocinho” bem delimitados.

Para entender ainda mais essa história e esse universo é interessante ler textos paralelos, principalmente e obviamente sobre as lendas do Rei Artur, mas também sobre Idade Média. Se eu puder dar uma indicação de um livro geral sobre Idade Média, de leitura agradável e acessível inclusive para leigos, indicaria “A civilização feudal” de Jérome Baschet.

Espero ter conseguido deixa-los com vontade de ler esse livro, pois realmente vale a pena e já estou ansiosa para ler o segundo da saga: “O inimigo de Deus.”.”

Bem, só para situar, Ronaldo Riley é meu marido. (rs).

Se você já “O Rei do Inverno” ou os três livros da saga desse autor fantástico, que tal deixar um comentário dizendo o que achou? Podemos deixar em aberto diversos tópicos para pensarmos a respeito mais adiante.

Ah, mais uma coisinha…

Vocês tem algum livro, de qualquer tipo que seja para me indicar? Estou com aquela necessidade de leitora compulsiva (espero que não maníaca rs), que precisa de uma história que a envolva e surpreenda. Pode ser de qualquer tipo! Que tal me indicar e aí eu escrevo uma resenha aqui no blog?

Um abraço e até a próxima!

Bruna.

LIVRO: O REI DO INVERNO.

AUTOR: BERNARD CORNWELL

EDITORA: RECORD.

Na cozinha: Sopa de cenoura com gengibre.

Olá pessoas bonitas! Bom dia!

Hoje é Segunda-Feira, portanto, dia que a maioria das pessoas escolhe para começar uma dieta! rs.

Eu digo que mais bacana que começar uma dieta, é começar uma reeducação alimentar. Dietas podem trazer resultados rápidos, mas elas ocorrem, na maioria das vezes, às custas de sacrifícios devido aos cortes radicais de alimentos que adoramos. Quando emagrecemos e nos sentimos “liberados” da dieta, acabamos por inconscientemente querer compensar o tempo perdido, e é aí que atacamos a geladeira. A reeducação alimentar pode ser mais demorada, mas a longo prazo os resultados são positivos. Mais difícil que reduzir o peso é MANTER esse peso. As pessoas que se reeducam evitam o famoso efeito sanfona.

Não estou dizendo que devemos cortar para sempre (nossa, que radical! rs), as guloseimas. Irei fazer um post sobre o que eu entendo por alimentação saudável, que pra mim, Bruna Bonfeld, que não sou nutricionista, mas apenas uma leiga interessada, inclui sim açúcar, sal, gordura, carnes e etc. O grande mal nesse sentido, mais uma vez na minha opinião de leiga interessada, são os exageros. É isso que estou tentando buscar pra mim e para meu filho. Meu baby adora pizza por exemplo. Eu o deixo comer as que não levam carne de porco e embutidos, até por que ele é muito pequeno, mas quando chegar a hora pretendo liberar, e fazê-lo entender o que é exceção e o que é rotina.

Deixemos de blá blá blá e vamos ao que interessa. Ontem consegui, finalmente, fazer uma receita da Bela Gil com grande parte dos ingredientes que tinha em casa! Acho que estou virando realmente uma pessoa mais saudável! Que é uma deliciosa sopa de cenoura com gengibre. A receita encontra-se no link abaixo:

http://gnt.globo.com/receitas/receitas/sopa-de-cenoura-com-gengibre-receita-da-bela-gil.htm

Das opções dadas eu usei o óleo de girassol. E quanto ao sal usei o normal. Não deixei de fazer a receita, apenas adaptei a minha realidade, ela ficou realmente uma delícia e ainda assim muito saudável. No começo do post falei sobre dieta e aí vocês podem me perguntar: “Bruna, por que você indica uma sopa para o verão?” Eu respondo. Por conta do gengibre a sopa fica bem leve e refrescante. Tenho certeza que vocês vão adorar.

Foto

Se quiserem dar para os pimpolhos, perguntem aos seus pediatras quando o gengibre pode ser liberado. Normalmente, por ser mais forte, ele é indicado a partir de 01 ano.

E lembremos, se quisermos que nossos filhos sejam saudáveis, precisamos dar o exemplo. Não adianta nada eu dizer para meu filho: “Francisco, coma cenoura” , se eu não comer.

E vocês? Tem alguma receita que leve gengibre para me indicar? Ou uma sopa muito gostosa?

Um abraço.

Bruna.

Introdução alimentar: dicas para seu bebê “papar” tudinho!

frutasBoa noite!

Muitas pessoas podem estar ansiosas para o momento em que trocaremos receitas e apresentaremos pratos deliciosos uns aos outros. Gostaria, antes de iniciar esse longo post, de lembrar que a categoria “panelas” do blog trata principalmente de alimentação saudável infantil, e até vermos uma criança devorando um lindo e maravilhoso prato saudável temos um longo percurso pela frente. Precisamos discutir sobre isso, para termos adultos mais saudáveis no futuro.

O tema desse post sempre gera muitas dúvidas para as mamães (e papais) que irão começar a introdução alimentar de seu filho ou filha. Normalmente a introdução alimentar é indicada para bebês a partir de 06 meses e basicamente consiste em: frutas, legumes, verduras, grãos, leguminosas e carnes. Achou muito? Pois não é! Vamos ver por que uma introdução alimentar feita com muito cuidado e com a maior VARIEDADE possível vai fazer seu baby “papar tudinho”.

Meu filho me deu um trabalhão enorme nesse início. Como ele se alimentou exclusivamente de leite materno até o sexto mês demorou para ele entender que seria necessário outros alimentos para que se sentisse saciado. Ou seja, eu tinha um bebê de 09 meses, NOVE (rs), que queria passar o dia inteiro mamando. Essa informação é para tranquilizar os pais que estão com dificuldades. Passa, galera. A maior dica é não desistir. Continuem insistindo. Claro, se você ofereceu vinte vezes batata doce e seu filho não comeu, isso pode dizer alguma coisa a respeito do paladar em formação da criança. É importante estar atentos aos sinais, afinal, nossos filhos não são bonecos, mas sim seres humanos, com gostos e preferências.

PAPINHAS SALGADAS. 

A primeira papinha do meu filho teve:

01 tubérculo: Batata inglesa – Batata doce – Batata baroa – Inhame – Aipim

01 legume vermelho ou laranja: Abóbora – Cenoura – Beterraba.

01 legume verde: Chuchu – Abobrinha.

01 carne: músculo ou peito de frango.

Passei uma semana variando entre esses legumes, fazendo diversos tipos de combinações.

MODO DE PREPARO: 

Refogue cebola, alho, cheiro verde e tomate com óleo. Deixe dourar. Acrescente os legumes descascados e deixe-os refogar bastante junto com o tempero (essa foi uma dica da minha mãe). Acrescente água fervida e deixe a sopa cozinhar em fogo baixo. Quando os legumes estiverem bem “molinhos” isso indica que a sopa está pronta. O sal não é indicado para não viciar o paladar do bebê, mas se você sentir que é necessário para agregar no gosto acrescente um pouco no próprio refogado.

Se for possível, EVITE, bater no liquidificador essa papinha. É importante o bebê sentir as texturas reais dos alimentos, para ser mais fácil que ele as aceite no futuro. O indicado é amassar a quantidade que o bebê for comer com um garfo até ficar com a consistência de uma papa grossa, porém com alguns pedacinhos. Eu precisei bater no liquidificador. Contraditoriamente minha experiência pessoal foi diferente das recomendações da Associação Brasileira de Pediatria. Até o nono ou décimo mês (não me lembro exatamente), meu filho só tomava a sopa batida. Aos poucos eu fui inserindo partes sólidas na sopa, até ele se alimentar totalmente de sólidos. Por isso que estou dizendo que foi uma batalha, não foi nada fácil. As vezes precisamos recorrer às nossas estratégias diárias para que o resultado final seja positivo.

Bem, após a introdução desses alimentos, com uma semana introduzi na mesma sopa uma verdura, pode ser brócolis, couve-flor, vagem, pepino… um grão, no nosso caso o arroz branco, e o feijão como leguminosa.

Aconselho a variar essas combinações de todas as formas possíveis, para a criança não ficar adaptada a um único sabor. Troque o arroz por macarrão em algum momento. Troque o feijão por ervilha ou lentilha. Troque as verduras, os legumes…a variedade é imprescindível.

FRUTAS: 

Precisarei de outro post para defender minha opinião sobre os sucos naturais.

Adianto que a Associação Brasileira de Pediatria não recomenda oferecer suco natural até 01 ano de vida da criança. Mas eu dei. Mais uma vez eu fiz ao contrário do que as recomendações oficiais me disseram para fazer e mesmo assim tenho uma criança linda e saudável em casa.

A mamãe, o papai, a vovó, o vovô, a titia, o titio, podem oferecer frutas na parte da manhã, após a primeira mamada e de sobremesa, após o almoço.

É importante criar uma rotina de alimentação. Isso dá segurança para a criança. Ela entende que aquele é o horário de comer e o organismo vai naturalmente se adaptando.

Normalmente os pediatras recomendam quase todas as frutas na introdução alimentar à exceção de morangos e kiwis, que são frutas que podem causar alergias para um corpinho que está iniciando a fase de receber alimentos. Isso se deve principalmente ao alto teor que infelizmente essas frutas carregam de agrotóxicos. E também frutas cítricas como laranja, limão e abacaxi.

Bem, bananas, maçãs (normalmente raspas), mamão, manga, abacate, pera, goiaba estão liberadas. Claro que os pais devem estar atentos a como funciona o organismo do baby nesse início. Banana prende o intestino, mamão solta. As características naturais das frutas vão influenciar inclusive como seu bebê irá se relacionar com elas.

Alimentos como ovo, peixe e pão são liberados pelo pediatra ou nutricionista de acordo com o histórico de saúde do bebê. No caso do meu filho esses três alimentos foram liberados a partir do nono mês.

Espero que tenham gostado deste post, o qual compartilho sobre o que sei de introdução alimentar, principalmente através da minha experiência pessoal. Quem tiver alguma dúvida ou quiser saber mais a respeito dos procedimentos que adotei na introdução me deixe um recado. Vou adorar ler!

verdura